O pensamento de Chayanov: Compreensão e incremento das unidades familiares por uma perspectiva CTS.

Alexandre Chiarelli, Ezequiel Westphal, Sidney Reinaldo da Silva

Resumo


O presente trabalho visa discutir as propostas de Chayanov para o âmbito rural utilizando as lentes da Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS) propostas por Dagnino, Brandão e Novaes (2004) através do processo de Adequação Sócio-Técnica. O desenvolvimento das propostas do autor russo Alexander Chayanov emergem paralelamente à transformação de um mundo ditado pela era dos impérios para um mundo dedicado a era dos extremos, como definiria Eric Hobsbawn (1995), desta forma as propostas apresentadas por Chayanov no início da primeira metade do século XX para organização social, no primeiro momento dialogam profundamente as questões agrícolas em um espaço territorial que passa a ser transformado pela revolução em curso, e no momento seguinte a necessidade de estruturar o oficio previamente exercido pela população rural. O desenvolvimento metodológico ocorre através de um diálogo da teoria crítica de Andrew Feenberg utilizada através do embasamento proposto por Dagnino que tem consonância com o ideário de Chayanov. Os trabalhos do autor russo o categorizam como influente personagem da discussão sobre a necessidade de uma reforma no âmbito social do espaço rural, um avanço que teria incremento na organização e consequentemente na produção realizada. Conforme Neder (2015) e Dagnino, Brandão e Novaes (2004), a sistemática organizacional do espaço rural apresenta um ponto de intersecção entre práticas sociais-culturais e práticas técnicas, a relação que liga essas duas práticas possibilita a formatação de um sistema de adequação sócio-técnica que auxilia de forma concreta na produção da unidade familiar, evidenciando de forma efetiva as propostas de Chayanov.


Referências


BOITO JR, A. As bases políticas do neodesenvolvimentismo. In: 9° Fórum de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV), 2012, São Paulo: FGV, 2012. Disponível em: Acessado em 25/09/2018

BRASIL. Lei 4.504, de 30 de novembro de 1964. Dispõe sobre o Estatuto da Terra, e dá outras providências. Brasília, 1964. Disponível em: acessado em 27/09/2018

BRASIL. Lei 8.629, de 25 de fevereiro de 1993. Dispõe sobre a regulamentação dos dispositivos constitucionais relativos à reforma agrária, previstos no Capítulo III, Título VII, da Constituição Federal. Brasília, 1993. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8629.htm> acessado em 16/09/2018

BRASIL. Sistema Nacional de Cadastro Rural. Índices Básicos de 2013. Brasília: INCRA, 2013. Disponível em: acessado em 27/09/2018

BRASIL. Decreto n° 9.064, de 31 de maio de 2017. Dispõe sobre a Unidade Familiar de Produção Agrária, institui o Cadastro Nacional da Agricultura Familiar e regulamenta a Lei nº 11.326, de 24 de julho de 2006, que estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e empreendimentos familiares rurais. Brasília, 2017. Disponível em: acessado em 21/09/2018

BAZZO, W.A. et al. Introdução aos estudos CTS: O que e Ciência, Tecnologia e Sociedade? Cadernos de Ibero-América, Editora OEI, 2003. Disponível em: < file:///C:/Users/w7/Downloads/Livro_CTS_OEI.pdf> acessado em 28/09/2018

CHAYANOV, A. V. The Theory of Peasant Economy. Homewood (Illinois): The American Economic Association, 1966. Disponível em: acessado em 09/10/2018

CHAYANOV, A.V. Sobre a teoria dos sistemas econômicos não capitalistas. In: SILVA, J.G. da; STOLEKE, V. A questão agrária. São Paulo: Brasiliense, 1981. p. 133-63. Disponível: < http://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/1223914353V2aDN7ku4Mf79OI1.pdf> acessado em 05/09/2018

DAGNINO, R. P. Elementos para uma avaliação das incubadoras universitárias de cooperativas. Otra Economía, n.6 (11), 2012, p. 184-197. Disponível em: acessado em 07/10/2018

DAGNINO, R. P. Ciência e tecnologia para a sociedade ou adequação sócio-técnica para o povo? Revista Tecnologia e Sociedade. v.5, n.8, 2009, p.1-23. Disponível em: acessado 09/10/2018

DAGNINO, R.; BRANDÃO, F. C.; NOVAES, H. T. Sobre o marco analítico-conceitual da Tecnologia Social. In: Antonio de Paulo et al (org). Tecnologia Social: uma estratégia para o desenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundação Banco do Brasil, 2004. P.15-64. Disponível em http://www.mom.arq.ufmg.br/mom/18_ref_capes/arquivos/arquivo_110 acessado em 06/10/2018

DAGNINO, R.; NOVAES, H. T. Adequação sócio-técnica e economia solidária. Campinas: Unicamp, 2003. Disponível em < web.uaemex.mx/esocite/esocite2004/docs/AdequaCAo_socio_tecnica.doc> acessado 22/08/2018

FEENBERG, A. Teoria Crítica da Tecnologia: um panorama. Brasília: Observatório do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina/ CDS/UnB/Capes, 2010. p.97-118. Disponível em: < https://aprender.ead.unb.br/pluginfile.php/125220/mod_resource/content/1/textos/LivroArteFinal_baixa.pdf> acessado em 08/10/2018

FRAGA, L. As Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares (ITCP) na construção da contra hegemonia acadêmica. Revista de Estudos Organizacionais e Sociedade, face/UFMG, Belo Horizonte, v.5, n.13, Agosto, 2018. p.496-539. Disponível em: acessado em 11/10/2018

GUIMARÃES, G.; SALOMÃO, I. Planejamento e gestão de incubadoras de tecnologias sociais para o desenvolvimento: características e instrumentos. Brasília: ANPROTEC/SEBRAE, 2006.

HERRERA, A. Los determinantes sociales de la política científica en América Latina. Política científica explícita y política científica implícita. Revista Redes. Centro de estudios e investigaciones. v.2, n.5, dezembro. Buenos Aires: Universidad Nacional de Quilmes, 1995. p 117-131. Disponível em acessado em 02/10/2018

NOVAES, R. R. Mutirões: cooperativas e roças comunitárias. In: ESTERCI, N. (org). Cooperativismo e coletivização no campo: questões sobre a prática da Igreja Popular no Brasil. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2008. p.41-63. Disponível em: acessado em 19/10/2018

PINCH, T; BIJKER, W. The social construction of facts and artifacts: Or how the sociology of science and the sociology of technology might benefit each other. In: BIJKER, W,; HUGHES, T; PINCH, T. The social construction of technological systems: New directions in the sociology and history of technology. Cambridge, MA: MIT Press, 1987. pp. 17-50. Disponível em: acessado em 17/10/2018

SCHNEIDER, Sérgio. Prefácio. In: CONTERATO, Marcelo Antônio et al. (Org.). Mercados e agricultura familiar: interfaces, conexões e conflitos. Porto Alegre: Via Sapiens, 2013, p. 08-11. Disponível em: acessado em 12/10/2018

TRUJILLO, F. S. P. La economia de trabajo (Alexander Vassilevich Chayanov - seleccíon de escritos). Agricultura y sociedad, n.55, Abril-Junio, 1990. p.239-250. Disponível em: acessado em 14/09/2018

WANDERLEY, M. N. B. Agricultura familiar e campesinato: rupturas e continuidades. Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, 21, Outubro, 2003, p.42-61. Disponível em: acessado em 21/09/2018


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Científica Interdisciplinar INTERLOGOS